Lindoso – finalmente começavam os acordos

Esta entrada é parte 17 de 27 na série Lindoso

laregion31out91É durante o mês de Outubro que se travam as maiores batalhas entre afectados e EDP. Como vimos, depois de tentativas de boicotar a realização dos actos que dariam por consumadas as expropriações, depois das cargas policiais, depois da greve de fome iniciada em Lobios, os ânimos começam a serenar.

No dia 31 de Outubro de 1991, recorrendo mais uma vez  à imprensa local, vemos que foi depois de nove dias de greve de fome e fechados na Casa Consistorial que, à 1:20 da tarde do dia 30,  as cerca de 40 pessoas abandonam as instalações municipais e declaram o fim da greve de fome, após a recepção de um fax assinado pelo delegado da EDP em Espanha, Silvio Gonzalez, onde é aceite a comissão de arbitragem proposta para levar a cabo as negociações das terras ainda pendentes.

Neste momento, convencidos de que os trabalhos não parariam, vendo a aproximação do Inverno e do tempo das chuvas, receando o alagamento eminente, o mais importante agora era conseguir o melhor preço possível pelas terras.

No mesmo acordo, a comissão de afectados, pela voz do seu advogado, exige  da EDP um aviso prévio de 3 meses antes do encerramento das comportas. Expressam ainda pela primeira vez, aceitar  o translado da Igreja de Aceredo, permitindo que as pedras comecem a ser numeradas para o efeito.

A igreja, bem como uma ponte, vão estar no cerne da discussão. Lembramos aqui que a Igreja de Aceredo seria transladada pela segunda vez!!! Também foi “moeda de troca” durante o desenrolar dos acontecimentos, como veremos em próximas entradas.

laregion31out91a

Entre choros e abraços, entre a entoação de uma canção composta durante o período de ocupação e muita emoção , acabou por se realizar um jantar com cerca de 90 pessoas, onde era de salientar a presença do Alcaide e demais membros do município.


Ver mais da sérieLindoso – Cuando cantan las sirenasLindoso – A Igreja como arma

Deixe uma resposta