Divagar…Devagar

18 Outubro 2011, Lobios

Dormi pouco…mas bem. Talvez um bocadinho mais depressa que o normal, por não dispor de muito tempo…Um desafio de última hora prometia mais um dia de PNPG, que começaria cedo.De casa a Ponte de Lima – P. Barca – Lindoso, entre um misto de névoa matinal e fumo, tentei perceber se os 10ºC do termómetro do carro eram uma alucinação pelo facto de ter dormido a correr, ou seriam a confirmação do acentuado arrefecimento nocturno AAN, que se vai fazendo notar. A névoa cinza dissipava-se… e a névoa negra azul fumo acentuava-se com o nascer do dia. Passada a fronteira da Madalena, juntou-se-lhe o cheiro…aquele cheiro…que não queremos sentir…mas sentimos!

Paragem obrigatória no Cubano em Lobios…. e de imediato se confirma a suspeita. Embora seja informação de “bar e gasolineira”, todos referiam as últimas novidades: “Ardeu tudo!” ” salvaram os Pueblos e os vecinos“……..ardeu durante 4 dias!……… entre o “vindo de cá” (o fogo)…”.vindo de lá”…”indo para cá”….”indo para…para lá”; sem querer saber porquê e de quem era a culpa (Os comentários no bar enquanto decorriam as notícias na Tv Galicia, pareciam um clássico Barça/Real ao vivo e em directo….quem conhece o ambiente sabe da “coisa” indescritível e surrealista de que falo!!! 🙂 )

Só queria saber “onde ardeu” e o “quanto ardeu”, ou seja, a severidade do fogo!

Não podia ter piores notícias. O meu “fascínio” pelo Gerês/Xurés já leva uns anos. Poucos ou muitos, são o resultado de opções que fiz. Por condicionalismos vários e opções pessoais, tenho investido mais tempo no Xurés que no Gerês. É óbvio, e o óbvio não se argumenta! Fiz amizades com as pessoas e com os sítios. Criei laços! qual “princepezinho”! Um “quintal” onde já passei um bom par de horas…e que tinha ardido durante 4 dias….Veio de Lá…Foi para Lá… Que me interessa? Estou triste! Isto (já) não devia acontecer, argumentem o que queiram, culpem quem queiram culpar, as consequências são para todos.

Para o Homem, a Fauna e a Flora, protegidas por homenzinhos/animaizinhos que defendem as plantinhas e o tacho… A Natureza ri-se! “como não tem Tempo, não tem pressa”… e nós à espera!

 

Deixe uma resposta