“Nada temos, porém, tudo possuímos”

Das muitas conversas ocorridas durante uma das últimas caminhadas, sobressai, como de costume, o estado do parque, a sua defesa e a sua visitação. Claro está que, as regras e as taxas acabam sempre por entrar nesse cardápio. É assunto que interessa a todos, quer do ponto de vista pessoal (alguns de nós caminham sozinhos com alguma frequência), quer do ponto de vista colectivo, enquanto  elementos de um pequeno grupo (5-6 elementos máx.) espontâneo e informal, sem qualquer estrutura organizativa.

Lembrei-me hoje de uma história que não contei mas, com… jeitinho, assenta como uma luva ao nosso Parque Transfronteiriço – Reserva da Biosfera.

A história era esta: – Os frades tinham colocado o seguinte letreiro na porta do convento: “Nada temos, porém, tudo possuímos”. Um passante, certa noite, escreveu por baixo: “Quem não tem vergonha, todo o mundo é seu.”

***

Deixe uma resposta